Superlotação no HRG

Superlotação restringe atendimento em pronto-socorro do Hospital Regional do Gama

Pacientes que procuram atendimento de clínica média no pronto-socorro do Hospital Regional do Gama (HRG) não estão sendo atendidos desde quinta-feira (20). O motivo da suspensão temporária: superlotação. De acordo com a direção do hospital, a internação está restrita, “uma vez que a enfermaria da Clínica Médica está com um número elevado de pacientes”. A orientação é que os pacientes com sintomas de menor complexidade busquem o serviço oferecido nas Unidades Básicas de Saúde da região.

A situação, segundo a direção, se estenderá até que os que estão internados tenham condições de alta hospitalar e o local fique em situação ideal de atendimento. “Apenas casos de urgência serão recebidos na clínica médica. As demais especialidades – ortopedia, cirurgia geral, cardiologia e ginecologia – seguem com atendimento normal”, informou.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde), Marli Rodrigues, a situação é reflexo da má gestão do governo Rollemberg e, apesar das dificuldades financeiras em governos passados, nunca foram fecharam tantas emergências em tão pouco tempo.

“Isso é o resultado da péssima gestão desse governo. A saúde sempre esteve um caos, mas nunca na história do DF se fecharam tantas emergências. São clínicas médicas, pediatrias, ortopedias, todas fechadas em tão pouco tempo. Mesmo sem dinheiro, as emergências sempre se mantiveram abertas”, explica.