Frank Barroso aos 13 anos
Frank Barroso com uma turma do grupos de jovens católicos aos 13 anos de idade

A história de Frank Barroso até os 13 anos de idade

Desde a infância, ele já demonstrava consciência e preocupação com os problemas de sua cidade

Frank Barroso é um cidadão brasileiro nascido no Gama, cidade satélite de Brasília. O Gama, assim como outras cidades satélites de Brasília, enfrentava diversos problemas de infraestrutura urbana, como saneamento básico precário e falta de pavimentação asfáltica. A falta de representação política local também é uma questão preocupante para a população gamense até hoje.

Desde criança, Frank Barroso, cujo nome de registro civil é Francisco Barroso Filho, conviveu com esses problemas. Nos anos 80 e 90, o Gama enfrentava a falta de moradia digna e a existência de favelas em seu território.

Frank Barroso passou alguns anos morando com seus avós paternos em uma área rural da Ponte Alta do Gama, dos 4 aos 7 anos de idade. Posteriormente, retornou para a casa dos pais para poder estudar.

No entanto, a mãe de Frank, Francisca Jorge de Melo, percebeu que ele era muito inquieto e agitado, o que levou a acreditar que ele não se adaptaria bem ao ambiente escolar. Por isso, ele só foi matriculado na escola aos 9 anos de idade. Como criança, Frank Barroso era curioso e já demonstrava interesse em aprender a ler. Ele aproveitava embrulhos de jornais velhos, utilizados nas  mercearias próximos à sua casa, para perguntar aos adultos quais palavras estavam escritas e entender a formação das frases e orações.

Quando entrou na Escola Classe 18, localizada no Setor Sul do Gama, suas professoras perceberam que ele já tinha conhecimento básico de leitura e compreendia o mundo de maneira mais avançada em comparação aos meninos de sua idade. Foi assim que Frank Barroso foi promovido, depois de um teste de conhecimentos gerais,  direto para o segundo ano do ensino fundamental.

Durante essa época, ele estudava no chamada turno da fome (entre 11 e 14 horas), o que lhe permitia vender jornais durante a manhã e revistas  no final da tarde. Essa foi sua primeira experiência de trabalho e ele se tornou o melhor jornaleiro da banca do Chico, localizada na quadra 42 do Setor Leste. Com o dinheiro que ganhava, Frank Barroso comprava livros e gibis, ampliando seu conhecimento.

Entre os 10 e 12 anos de idade, Frank fez um curso para a primeira comunhão na Igreja Católica São Sebastião e depois se tornou um coroinha, auxiliando o padre durante as missas. Inicialmente incentivado a seguir o cristianismo por sua mãe, Frank se identificou tanto com a religião que sonhava em ser padre. Ele se tornou um cristão dedicado e estudioso, participando ativamente de grupos de jovens e aprendendo a ser um líder.

Durante esse período, ele estudou no Centro de Ensino nº 09, localizado entre as quadras 13 e 15 do Setor Sul do Gama. Foi nessa escola que Frank Barroso foi eleito presidente do Grêmio Estudantil, na época chamado de Centro Cívico Escolar. Sua chapa, denominada Cecília Meireles, foi eleita com 70% dos votos, sendo composta principalmente por estudantes do sexo feminino. A partir desse momento, Frank desenvolveu-se como líder e sempre lutou pela comunidade e por um mundo melhor.

Frank Barroso, desde a infância, já demonstrava consciência e preocupação com os problemas de sua cidade. Sua trajetória de superação e liderança o levou a se tornar um homem público engajado na busca por soluções para os desafios enfrentados pelo Gama e pela população gamense como um todo.