Weber Magalhães
Weber Magalhães

Weber Magalhães é candidato em chapa de Carlos Divino ao Senado 

O ex-presidente da Sociedade Esportiva do Gama que renunciou ao cargo em 1º de abril deste ano, Weber Magalhães  tenta retornar à política, no Senado, como suplente. Weber é 2º suplente na chapa liderada pelo ex-desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios Carlos Divino Vieira Rodrigues. A 1ª suplência ficou com Fabiana Lacerda, empresária e pastora, que foi candidata à deputada distrital em 2018 pelo PP e hoje está filiada ao PSD.

Carlos é candidato no grupo eleitoral de Paulo Octávio que tenta tirar o GDF de Ibaneis Rocha, atual governador.

Weber volta a ser candidato 12 anos depois

A última vez que Weber Magalhães foi candidato ainda estávamos na década anterior. O ano era 2010 e Weber era filiado ao PSDB e disputou a Câmara dos Deputados. Weber recebeu 3.338 votos e foi um dos suplentes da coligação que alçou Jaqueline Roriz (PMN), Izalci Lucas e Ronaldo Fonseca – à época, ambos no PR – à Câmara Federal.

Naquela mesma eleição, Geraldo Magela, Paulo Tadeu e Erika Kokay foram eleitos pelo PT. Já Luiz Pietschmann (PMDB) e José Antônio Reguffe (PDT), na sua primeira tentativa à Câmara dos Deputados, completaram os representantes candangos.

Weber Magalhães é servidor público federal, funcionário de carreira do Senado, e agora tenta uma vaga política na casa – onde atua no gabinete do Senador Omar Aziz.

Patrimônio de Weber Magalhães aumentou 5,7 vezes em 12 anos

Na declaração de 2010, quando foi candidato pela última vez, Weber declarou possuir patrimônio de R$682.797,00. Agora em 2022, seu patrimônio chega à R$3.913.327,99.

Caso a chapa encabeçada por Carlos Divino sagre-se eleita, Weber Magalhães é o segundo na linha de assunção do posto. Se Carlos Divino for escolhido para alguma secretaria distrital ou estadual, ou mesmo para algum posto ministerial ou renuncie ou faleça, assume a cadeira a 1ª suplente na chapa, Fabiana Lacerda.

Na eventualidade de Fabiana também ser convocada para algum dos cargos acima descritos, ou venha a renunciar, ou falecer, quem então representará o Distrito Federal no Senado é Weber Magalhães, hoje filiado ao PSD.